MOURARIA: RECANTO DE PAZ, CULTURA E HISTÓRIA

O bairro da Mouraria foi fundado no século XVIII por ciganos. Não na concepção atual deste grupo, mas, por pessoas que não eram portuguesas. Na época quem vinha de fora e não era português, era cigano, mouro. Os mouros formaram um gueto que, posteriormente, foi batizado de Mouraria.

Localizada no antigo centro da cidade, entre a avenida Joana Angélica e a Barroquinha, a Mouraria pode ser definida por uma palavra: tranquila. A calmaria que toma conta das ruas de paralelepípedos do bairro e o clima familiar forte, aliado a camaradagem entre os seus habitantes, faz com que a Mouraria seja, aparentemente, um resíduo de anos já passados. Ao andar pelas tranquilas ruas deste bairro no centro da cidade, pela manhã, a sensação é a de que o tempo parou, e isso só aumenta o bem estar que aquelas antigas ruas produzem.

Durante a noite, a calmaria da manhã é colocada ao lado de uma leve agitação, mas nada comparada às outras regiões da cidade. Os estabelecimentos abrem e as pessoas das mais variadas classes, de todos os tipos, enchem os bares e restaurantes das velhas ruas, que à noite possuem uma face boêmia, por toda a madrugada. A diversidade das pessoas que vão à Mouraria à noite faz com que o bairro se torne mais agitado, boêmio, mas, sem excluir a calmaria típica deste pedaço da cidade esquecido pelo tempo, no bom sentido da expressão.

Bar Koisa Nossa, antiga sede do bloco "Os Internacionais"

Chegar lá é fácil e sair, caso alguém queira, também. Localizada no centro da cidade, o bairro é de fácil acesso, é seguro, comparado aos outros bairros da cidade, é tranquilo, familiar e boêmio ao mesmo tempo. Não existe nenhuma desculpa plausível para não incluir a Mouraria no próximo roteiro de viagem e/ou saída.

Mais informações:

http://www.ibahia.com/impressao/noticia/da-moradia-de-ciganos-mouros-ao-atual-bairro-da-mouraria/

Deixe um comentário

Arquivado em Apresentação do bairro